Music News: Katy Perry

285594-katy-perry-big-purple-dot

Depois de ser chamada de “filha do diabo” pelo próprio pai, que é um pastor evangélico, Katy volta com mais um sucesso e que já é número 1 no Top 10 da Billboard.

Assista ao novo clip da cantora: Roar

Anúncios

Sobre a realidade

Ainda estou tentando descobrir porque não fui completamente lobotomizado pela religião. Afinal, foram 28 anos como evangélico. Eu deveria estar totalmente submisso.

Mas, quando a gente descobre que pode mudar qualquer situação, isso demonstra o quanto sua mente pode ser livre.

Ainda vejo amigos que precisam fazer um monte de coisas na igreja. Suas vidas mudaram? É claro! Assim como a vida de todo mundo muda. Não importa o credo. Isso derruba uma frase muito famosa que eu sempre ouvi: “Venha pra jesus e você nunca mais será o mesmo!”

Querendo ou não, as coisas mudam. Faz parte de um processo natural.

Para mim, o pior é quando alguém chega ao ponto de dizer que não precisa mudar. Isso significa que ela não permite reconfigurações, reformas, reconstruções no seu mundo particular.

As pessoas ficaram reféns de uma neuroteologia psicótica.

Coisas boas e ruins acontecem com cada um de nós. Uma frase que eu concordo com todas as letra é essa: “O ser humano é tão egoísta que, basta que lhe ofereçam uma recompensa em outra vida para que ele pratique o bem nesta”.

Olhar para uma pessoa que não faz parte de sua religião e dizer que ela sofrerá um tormento eterno só porque ela não é como você… isso é insano! realidade-aa9c0

Criamos barreiras. As religiões nunca conseguiram unir os humanos. Pelo contrário! Elas nos dividiram e quase sugaram toda nossa racionalidade e humanidade.

Elas nos deixaram egoístas, insensíveis, utópicos, arrogantes, avarentos, etc.

Acreditar, por exemplo, que a doença é curada por um ser mitológico enquanto se está sendo tratado por um médico que estudou mais de 5 anos é um absurdo!

Os religiosos dizem: “Milagres são inexplicáveis!” Logo em seguida afirmam: “Só pode ser deus!”

Pelo menos temos pessoas honestas, como médicos e cientistas, que afirmam o seguinte:”Bem, nós ainda não sabemos como isso aconteceu, mas iremos pesquisar para descobrir”. Isso revela a humildade de um ser racional.

Sempre ouvi dizer pelos religiosos que existem coisas que está além da nossa imaginação, da nossa realidade e que não podemos explicar, que nunca vamos entender. Bem, se não podemos explicar e não vamos entender, porque seguir acreditando nessas coisas que estão fora do âmbito racional??? Esqueci! Essa é a fórmula do produto que a religião vende: Você não precisa saber (você não precisa pensar). Basta somente crer.

Tenho um desejo profundo de ter um filho. Mas para que isso aconteça é necessário várias coisas – Um trabalho estável, uma grana considerável, uma casa, etc. Se eu ainda não tenho essas coisas, não é a fé que vai me ajudar a tê-las. É o meu esforço. Mas, até pra isso os religiosos tem uma resposta pronta e nada sensata: “Faça a sua parte que deus o ajudará!”

Cansei  desse mundinho exclusivo. Isso me faz pior e indiferente aos outros.

Vamos acordar, gente! O universo possui bilhões de anos. Porque eu deveria pautar minha vida em um livro que é um feto se comparado com a idade do universo?!?!

Deixo um vídeo para reflexão: 

 

A ateia Clarice Falcão

3186667419-clarice-falcao-3540891538

Clarice Falcão é dona de múltiplos talentos. Aos 23 anos, faturou a primeira colocação do Project Direct, competição mundial de curtas-metragens realizado pelo Google, com o filme Laços. Já atuou e foi roteirista de programas da TV Globo, além de ser um dos destaques do canal humorístico Porta dos Fundos. Somando desafios e agregando títulos ao seu currículo, a recifense lançou primeiro álbum,Monomania, em abril, editado de forma completamente independente e promovido pelo iTunes. Após sua estreia em São Paulo, quando esgotou todas as entradas no Auditório do Ibirapuera, Clarice volta à cidade para duas apresentações, neste sábado (31), no Cine Joia. Filha da roteirista Adriana Falcão e do cineasta João Falcão, Clarice cresceu rodeada por música, cinema e teatro, fato que contribuiu para sua formação artística: “Minha família sempre foi apaixonada por música. Minha mãe me colocava pra dormir cantando Chico Buarque e meu pai sempre compôs canções para as peças que ele escrevia. As festas lá em casa terminavam em uma roda de violão”, conta a cantora em entrevista ao Virgula Música. Começando sua carreira como compositora, a fã da tríade Chico BuarqueCaetano Veloso eGilberto Gil fala sobre as dores do amor com pitadas ácidas de humor e muita personalidade: “o amor faz com que as pessoas apaixonadas fiquem bobas, algumas vezes até ridículas. Uso o humor para falar desse sentimento tão maluco não por ser uma forma mais fácil de lidar com a dor, mas por se a minha forma de expressão”. Na faixa Qualquer Negócio, por exemplo, Clarice brinca com o desespero de perder seu amando e topa qualquer coisa só para permanecer em sua companhia: “Me deixa ser/ A sua estátua do jardim/ O seu cabide de casacos/ Só não me tira de vez / Da sua casa”. “Queria fugir dos clichês. É muito fácil ser piegas falando do amor”, explica.

Apesar de suas composições sobre relacionamentos que acabaram de forma traumática, a vida amorosa da cantora vai muito bem. Ela namora há três anos o também roteirista e colega de elenco no Porta dos Fundos, Gregório Duvivier, com quem divide projetos, roteiros, textos e canções: “A primeira coisa que eu faço quando termino uma música é correr pra mostrar pras pessoas, e o Gregório quase sempre é o primeiro. Para criar é muito bom ter alguém do seu lado que te entenda, que te complete”.

MÚSICA INDEPENDENTE E O CONTATO COM O PÚBLICO

Clarice decidiu lançar seu álbum de estreia, Monomania, de forma independe na web por apreciar o contato sem barreiras com seus ouvintes. “Gosto muito da relação direta com o público que a internet me proporciona. Posso compor uma música agora e colocar no ar em menos de duas horas. Acho isso incrível. Um contrato com uma grande gravadora muitas vezes acaba com essa liberdade”, explica. “Existem contratos e contratos. Uma gravadora pode ser ótima quando ela confia que o seu trabalho vai dar certo do jeito que ele é, mas nem sempre é assim”, completa. Estar no palco, perto dos fãs, também foi um dos motivos de Clarice investir sem sua carreira musical. “Ainda fico muito nervosa, mas é uma sensação nova e muito boa”, diz. “O show, especialmente quando ele acontece em uma casa de shows, com o público em pé, é quase um dueto da banda com a plateia, a troca é bem maior. Mas o meu é especialmente teatral, gosto de misturar as duas coisas. Quem fez a direção do espetáculo é o meu pai, que é diretor de teatro, por isso tem uma cara diferente de um show comum”, explica.

HUMOR ÁCIDO, RELIGIÃO E POLÊMICAS

Somando mais de 400 milhões de visualizações em 120 vídeos do Porta dos Fundos, Clarice é uma das estrelas da produção veiculada exclusivamente pelo YouTube. O sucesso imediato do programa humorístico modificou a rotina da jovem e atraiu opiniões críticas ao conteúdo, principalmente quando o tema envolve religião. Na última semana, o vídeo Oh, Meu Deus, que mostra uma mulher – interpretada por Clarice Falcão – em uma consulta ginecológica e que tem a figura de Cristo descoberta em sua vagina, gerou revolta no pastor e deputado Marco Feliciano. O religioso acionou a Polícia Federal, na tentativa de censurar a veiculação do programa, e acionou seus seguidores em uma cruzada contra o programa. “Eu não acho que o vídeo tenha sido ofensivo, foi apenas uma brincadeira com pessoas que enxergam a imagem de Jesus em lugares inusitados. Mas, é claro, que não tem como agradar todo mundo”, explica a cantora, que diz não ter religião: “sou ateia, mas não acho que o Brasil seja um país laico”. “Infelizmente, em todas as notas do nosso dinheiro está escrita a frase “deus seja louvado”. Acho uma pena, até porque as religiões minoritárias terminam saindo prejudicadas. Uma piada sobre a religião católica ou evangélica causa revolta, mas a frase ‘chuta que é macumba’ é falada cotidianamente e ninguém acha estranho”, finaliza.

SERVIÇO:

Clarice Falção no Cine Joia

Quando: 31 de agosto, às 17h e às 21h
1º show: Abertura da casa: 15h
2º show: Abertura da casa: 19h

Onde: Cine Joia – Praça Carlos Gomes, 82 – Liberdade

Quanto:
1º Lote: R$ 80 (inteira) e R$40 (meia-entrada)
2º Lote: R$ 100 (inteira) e R$ 50 (meia-entrada)

Pontos de vendas:
http://www.facebook.com/cinejoia na aba “Compre seu Ingresso” e cinejoia.tv/ingressos
– Cine Joia: Praça Carlos Gomes, 82 (segunda-feira a sexta-feira, das 10h às 18h, e durante o final de semana, a bilheteria só abre em dia de show, 1h antes da abertura oficial da casa).

Classificação: 1º show: 16 anos; 2º show: 18 anos (Só será permitida a entrada de pessoas com 16 e 17 anos acompanhada dos responsáveis legais)

Mais informações: (11) 3231.3705 / 3131-1305

Créditos: http://virgula.uol.com.br

 

Agora é a vez de Miley Cyrus “sair do armário”

“Esqueça Jesus”, pede Miley Cyrus no Twitter

A cantora e atriz adolescente Miley Cyrus ficou famosa pelo programa Hanna Montana, da Disney. Filha do cantor Billy Ray Cyrus, ela foi criada em uma família cristã. Porém, seu pai reclamou ano passado que Satanás estava atacando sua família e criticou publicamente o comportamento de Miley. Esta semana, ela travou uma “guerra” com seus fãs cristãos depois de usar sua conta oficial no Twitter @MileyCyrus para postar uma citação ateísta. Trata-se de parte de um famoso discurso do físico teórico Lawrence Krauss. Suas palavras são constantemente usadas por livres pensadores e ateus, afirmando que devemos ser gratos às estrelas pela nossa existência e não a Jesus. Veja o texto que Miley classificou de “lindo”:

beautiful

Cada átomo de seu corpo veio de uma estrela que explodiu e os átomos em sua mão esquerda provavelmente vieram de uma estrela diferente da dos átomos de sua mão direita. Essa é realmente a coisa mais poética que eu conheço sobre física: vocês são todos poeira de estrelas. Vocês não poderiam estar aqui se as estrelas não tivessem explodido, porque os elementos, o carbono, o nitrogênio, o oxigênio, o ferro, todas as coisas que importam para a evolução foram criados no começo dos tempos. Eles foram criados nas fornalhas nucleares das estrelas e a única maneira de eles chegarem ao seu corpo é se as estrelas forem gentis o suficiente para explodir. Então esqueça Jesus, as estrelas morreram para que você estivesse aqui hoje.— Lawrence Krauss – físico teórico.

Rapidamente surgiram tweets mostrando a indignação de muitos cristãos: @MileyCyrus como assim você deixou de ser cristã? Esqueça Jesus?? Sério? O que aconteceu com você depois que ficou tão famosa? O que?? @MileyCyrus Soa poético. mas eu não estou muito empolgada com a parte de “esquecer Jesus”. Ele é a verdadeira razão por que nós todos ainda estamos aqui. Por outro lado, vários livres pensadores e ateus comemoraram, afinal a cantora tem mais de cinco milhões de seguidores no microblog. Miley ainda não emitiu uma resposta oficial às críticas que seu tweet gerou. Porém, desde o final de fevereiro, no cabeçalho de sua conta do Twitter há uma citação de Buda: “A felicidade não depende do que você tem ou quem você é, depende apenas do que você pensa.” Para muitos, isso mostra que a cantora não pode mais ser considerada cristã.

Traduzido e adaptado de Examiner.com

Créditos: http://noticias.gospelprime.com.br

Sony-Xperia-Z-Ultra

Aqui estamos diante de um dilema. Por um lado, quem adora especificações está salivando pelo hardware do Sony Xperia Z Ultra. Por outro lado, ele possui uma tela de 6,4 polegadas! Isso não é um smartphone, é um tablet para você falar.

Ignorando isso por um momento, o novo Xperia parece incrível. Ele virá com o Android 4.2 (Jelly Bean) rodando no processador Snapdragon 800 quad-core com clock absurdo de 2.2GHz. Ele tem uma câmera de 8MP com sensor móvel Exmor RS, LTE, NFC, slot para cartão microSD, e 2GB de RAM.

Ele também tem um design bem impressionante: com 6,5 mm, ele é um dos mais finos do mundo (o Ascend P6 é ainda mais), mas tem espaço para uma enorme bateria de 3.000 mAh. Ele também é à prova de poeira e à prova d’água por até 30 minutos. No Xperia TabletZ, isso funciona mesmo.

A tela 1080p lhe confere uma bela densidade de pixels de 352 PPI. Ela usa a nova tecnologia Triluminos da Sony com pontos quânticos: são nanocristais tão pequenos – cerca de 10 nanômetros de diâmetro – que eles possuem propriedades quânticas. Isso lhes permite oferecer um aumento de 50% na gama de cores.

Tem mais: você pode usar qualquer lápis, ou várias canetas, como uma stylus na tela – isso nos deixa nervosos sobre possíveis arranhões na tela, mas será bem impressionante se funcionar mesmo.

Créditos: http://gizmodo.uol.com.br

Porque me tornei ateu?

Skulls-Men-Brain-Spine-House-Md-1200x1920

Nossa! Essa é uma história longa que pretendo encurtá-la ao máximo.

Nasci em uma família cristã fundamentalista. Meus pais me deram, obviamente, uma criação religiosa. Sabe, não foi tão ruim assim. Tive uma infância considerada normal. Apesar de muitas regras, não sofri como muitas pessoas ao meu redor sofreram nas mãos de pais sem escrúpulos. Porém, as normas não permitiam descobrir quem realmente eu era. Na verdade eu sabia, mas, não podia contrariar. Era pecado! Rsrsr!!! Sempre me senti diferente (apesar de todos serem diferentes) do outros. Não gostava das brincadeiras dos meninos nas escolas por onde passei. Quando menor, eu vivia agarrado a minha mãe, mas, também amava muito meu pai. Nenhum dos dois foi ausente na minha formação. Eu era bastante reservado, tímido mesmo. Comecei a cantar com 5 anos de idade. Aos 7, com um temperamento nada tranquilo, minha mãe me “obrigou” a cantar na igreja. Sempre escondia a fita K7 pra que isso não acontecesse. Ahahah!!! Mas, o dia chegou. E isso era inevitável. Afinal. cantar é o que sei fazer de melhor. Depois dessa experiência não parei mais. Cantava em vários lugares, recebia convites realmente tentadores pra fazer parte do mundo gospel, etc. Fui crescendo e me apegando cada vez mais a religião. Achava o máximo me sentir parte de um grupo que parecia ser a única e última verdade. Mas, eu fui crescendo e uma questão começou a me incomodar: minha sexualidade. Eu sabia que a bíblia era explicitamente contra a homossexualidade. Então, fui lutando contra mim mesmo (como é ensinado na religião) e ficando cada vez mais infeliz. Isso contradizia a mensagem pregada que dizia: “Venha para Jesus e seja feliz!”

Em 2011, um desejo veio ao meu coração. Eu gostava muito das músicas do Diante do Trono e queria entrar na escola deles, chamada CTMDT. Bem, depois de algumas pessoas que se opuseram, finalmente consegui ir a Belo Horizonte e passar na entrevista. O que posso dizer de lá? Foi uma experiência única! Conheci pessoas maravilhosas, incríveis. Aprendi muita coisa com eles. Fiz parte de uma banda sensacional e fui ajudado a entender certas questões da minha vida que foram resolvidas lá mesmo.

Mas, não foi o suficiente.

Concluí o curso em dezembro de 2012. Algumas questões ainda não estavam resolvidas. A principal naquele momento pra mim era a homossexualidade. E foi exatamente isso que me levou a conhecer uma palavrinha mágica pouco usada desde então: DÚVIDA.

Comecei a questionar. Fui logo mergulhar na história do mundo e conhecer sobre coisas que na igreja não me falavam.

Quando li (e continuo lendo) sobre a história das religiões fiquei fascinado. E descobri tanta coisa que me diziam ser o certo e que não era. A mitologia foi um tapa na minha cara. Comecei a fazer algo que pra mim era inconcebível: Duvidar da existência do deus da bíblia. É claro que não podemos dizer que algum deus não existe. Também não podemos afirmar que fadas, duendes, o curupira e o saci pererê também.

A conclusão foi que tudo o que eu vivi na religião foi quase uma perda de tempo total.

Passei por crises no meu psicológico por causa desse choque de realidade. Algumas síndromes vieram como consequência. Fui a um psiquiatra. Ele me receitou alguns remédios. Graças a isso pude melhorar. Mas, mesmo nas crises, eu não parei de pesquisar sobre o cristianismo.

Uma coisa que me fez refletir muito foi isso: Um planeta onde 6 a 11% da população é Protestante e os outros quase 90% (ou mais, na prática) e somente os que se professam evangélicos (os que aceitaram a jesus) vão para “um lugar melhor e eterno”… é totalmente imoral e desumano. São milhares de religiões no mundo. A maioria delas conclama a verdade para si mesma. Seria muito cruel se existisse um deus e ele levasse um povo beeeeeeeeeeemmmmm pequeno (comparado ao restante) para viver eternamente com ele e condenasse os outros a uma vida de sofrimento sem fim.

Perguntaram-me uma vez: “Daniel, porque você acha que o cristianismo está aí até hoje?” Eu respondi: “As outras histórias não eram tão atraentes como a do cristianismo. Ela venceu porque conseguiu convencer as pessoas por causa do seu conteúdo detalhado. E, o principal: Ela consegui ser o que nasceu pra ser: UM GRANDE NEGÓCIO!”

Sabe, as pessoas preferem acreditar do que saber. é exatamente por isso que somos um país subdesenvolvido. E, o país onde existem mais cristãos é o mesmo com um dos maiores materiais de guerra do mundo.

A vida deveria ser mais simples. Inventamos muita coisa contra nós mesmo. Somos autodestrutivos. E isso também começa com uma expressão muito conhecida na religião, que diz: “Negue-se a si mesmo!”

Hoje, vivo livre (apesar de estarmos em um mundo de escravos) de toda essa futilidade. O universo tem bilhões de anos. A bíblia é um feto perto da idade do nosso planeta. Porque eu deveria guiar a minha vida através de um livro cheio de regras, sangue, mentiras, corrupções, prostituições, trabalho escravo, estupro, incesto, contos, etc?!?!

Bem, ainda tinha muita coisa pra falar. Mas, por enquanto é isso. Tenho sido feliz e quero continuar assim. Apesar de não acreditar nas religiões, nunca vou deixar de acreditar no ser humano e de que ele pode ser, cada dia mais, humanizado.